Coleção de Vinil

domingo, 19 de agosto de 2012

Épico 06 | Big Ones (1994) - Aerosmith

Ano: 1994
Gravadora: Geffen Records
Gênero: Hard Rock e Blues Rock
Obs: o álbum não está à venda.

Sendo uma banda de grande tradição no rock, é muito difícil escolher o melhor álbum do Aerosmith. Por isso, escolhi a coletânea "Big Ones" de 1994, por conter as músicas que eu mais gosto da banda e que podem contar sua história.
O Aerosmith é a banda de rock norte-americana que mais vendeu em toda a história, com mais de 150 milhões de álbuns vendidos ao redor do mundo, incluindo 66.5 milhões vendidos somente nos Estados Unidos.  Eles também detêm o recorde do maior número de álbuns com certificações de ouro e multi-platina de um grupo norte-americano. A banda conseguiu colocar vinte e uma músicas no Top 40 da Billboard Hot 100, nove músicas no topo do Hot Mainstream Rock Tracks, ganharem quatro Grammy Awards e dez MTV Video Music Awards. Eles foram induzidos ao Hall da Fama do Rock and Roll em 2001, e foram incluídos nas listas de 100 Maiores Artistas de Todos os Tempos da Rolling Stone e do VH1.
O Aerosmith surgiu em 1969, da junção de duas bandas: Chain Reaction, do vocalista Steven Tyler, e Jam Band, do guitarrista Joe Perry e do baixista Tom Hamilton. Joe Perry trabalhava em uma lanchonete de Sunapee, New Hampshire. Lá ele conheceu o cliente Steven Tyler. Quando Steven viu a Jam Band tocando Rattlesnake Shake, surgiu o embrião do Aerosmith.
A formação da banda se completou com a entrada do guitarrista Ray Tabano e do baterista Joey Kramer. Ray era um velho amigo de Steven e Joe vinha da mesma cidade dos dois, tendo, inclusive, estudado na mesma escola que Steven. Pouco tempo depois, Ray foi substituído por Brad Whitford, e assim surgiu a formação clássica do Aerosmith. Joey sugeriu o nome "Aerosmith", que, segundo ele, não tem nenhum significado especial: era apenas uma palavra que ele gostava de escrever nos seus cadernos da escola.
Após alguns espectáculos ao vivo nos bares de Boston onde a banda ficou famosa principalmente no bar Kansas city, que lhes proporcionaram fama imediata, o Aerosmith assinou um contrato com a editora Columbia Records em 1972 e gravou o seu álbum de estreia "Aerosmith" em duas semanas; dele se extraiu o single "Dream On" e clássicos como "Mama kin", "Somebody", "Movin' Out" e "One Way Street". O álbum, na estreia, foi um fracasso de vendas (posteriormente, alcançou platina dupla - 2 milhões de cópias).


Após uma primeira turnê, a banda lançou "Get Your Wings" (1974), que também não gozou de grande sucesso nas tabelas de vendas - com o tempo, atingiu quatro vezes platina (quatro milhões de cópias); trazia os clássicos "Same Old Song And Dance", "Train Kept A Rollin'", "Lord Of The Thigs" e a super balada "Seasons Of Wither".
Em 1975, a edição de "Toys in the Attic" fez deles definitivamente estrelas do rock n' roll internacional: nessa época, o Aerosmith começava a lotar seus shows. O álbum, uma mistura bem sucedida de heavy metal, hard rock e toques de punk, constituiu um êxito imediato, tendo canções que marcaram época e jamais serão esquecidas, como "Adam's Apple" e "Walk This Way", que representam bem o hard rock, além de clásicos como "Toys in The Attic", "No More, No More" e "Big Ten Inch Record" e o mega sucesso "Sweet Emotion". O álbum já alcançou as 11 platinas (11 milhões de cópias).



O álbum seguinte, "Rocks" de 1976, é a influência de toda uma geração do hard rock americano, foi o primeiro disco de platina do Aerosmith, iniciando uma série de discos que alcançariam esta vendagem por vários anos seguidos; Rocks já atingiu 4 platinas (4 milhões de cópias) e foi o primeiro disco sem nenhum cover.
Após o estardalhaço de "Toys In The Attic e Rocks (1975)", é lançado "Draw the Line" em 1977, que atingiu disco de platina mais rápido que os primeiros e alcançou dupla platina (2 milhões de cópias). Não foi tão bem recebido pela crítica quanto seus anteriores, mas não deixou a desejar. "Draw The Line" é a faixa título e tem um riff inesquecível, pode considerado um dos maiores clássicos do Aero, e "Kings And Queens" é um tipo de rock um pouco "épico", que fala do governo, da igreja e da anarquia. E vale a pena lembrar de "I Wanna Know Why" e a blues-rock "Milk Cow Blues". É um disco com canções dançantes como "Get It Up" e "Sight For Sore Eyes", e traz a primeira música apenas com Joe Perry nos vocais, a ótima "Bright Light Fight".


Em 1978, o Aero canta para mais de 400 mil pessoas em Boston e lança seu primeiro álbum ao vivo, "Live! Bootleg", com os seus sucessos e duas canções retiradas de um bootleg de um show de 1973.
Em 1979, durante as gravações de Night in the Ruts, Perry deixou a banda após mais uma briga com Steven, que começou por causa de um copo de leite; formou o The Joe Perry Project, que lançou três discos. Após um acidente de moto sofrido por Steven, que o deixou "fora de ação" por alguns meses, foi lançada a coletânea "Greatest Hits", um verdadeiro estouro de vendas com mais de 10 milhões de cópias).
"Night in the Ruts" é lançado em 1979, e apresenta três covers: "Remember (Walking in the Sand)", "Think about it" e "Reefer Head Woman"; foram feitos vídeos de "Chiquita" e "No Surprize". O álbum não foi bom de vendas, alcançando apenas 1 disco de platina após vários anos de seu lançamento. Substituto de Joe, Jimmy Crespo toca apenas um solo em "Reefer Head Woman" (Joe tocou na maioria das outras canções).

Década de 80
Brad Whitford deixou a banda em 1981 e se uniu a Derek St. Holmes, vocalista da banda de Ted Nugent, para dar origem ao projeto Whitford/St. Holmes, que lançou um disco auto-intitulado.
Com a parceria Perry-Tyler desfeita, "Rock in a Hard Place" é lançado em 1982 e que teve como destaque o single e o vídeo de "Lightning Strikes", que ainda contava com Brad Whitford (a música foi gravada antes de sua saída). O disco foi um fracasso de venda e de crítica, apesar de ter grandes canções como "Bitch's Brew", "Bolivian Ragamuffin" e "Cry Me A River".
O Aerosmith havia se tornado uma paródia de si mesmo. A história da banda era repleta de excessos, com todos os ingredientes absurdos: esposas que não se bicavam, integrantes que caíam do palco, contas de serviço de quarto no valor de US$ 100 mil, membros da equipe que pegavam mais groupies que seus chefes drogados e dinheiro que ia sabe-se lá para onde."Paramos de conduzir nossa banda", Perry disse. "Paramos de dar a mínima."
Após esta fase conturbada, Perry e Whitford regressaram à banda, em 1984 – teve então lugar uma turnê para comemorar a reunião dos membros do grupo, a "Back In The Saddle Tour". Joe Perry, em entrevista à revista Rolling Stone na época: "Eu sei que todo mundo pergunta se nós voltamos a tocar juntos pelo dinheiro, e claro que não é verdade. Não, é legal ter dinheiro, mas a razão [pela qual voltaram a se reunir] é que temos prazer em tocar juntos outra vez". Contudo, durante essa mesma turnê, Tyler chegaria a desmaiar em palco devido à dependência de drogas, afetando negativamente a imagem do grupo.
No ano seguinte, a banda lança "Done With Mirrors", um dos melhores álbuns do Aerosmith desde o final durante toda a carreira, porém um fracasso de vendas foi igual ao anterior.
Em 1986, sai o 2° álbum ao vivo "Classics Live! Vol. 1", ao mesmo tempo em que Steven e Joe apareceram no bem sucedido cover dos rappers do Run-D.M.C. de "Walk This Way", combinando rock n' roll e rap e se tornando um clássico, marcando o início do regresso do Aerosmith aos grandes êxitos.
Em 1987, sai o 3° ao vivo "Classics Live! Vol. 2", seguido do disco "Permanent Vacation", que incluía hits como "Dude (Looks Like a Lady)", "Rag Doll" e "Angel", restabelecendo o Aerosmith nas paradas americanas novamente e vendendo 5 milhões de cópias só nos EUA.
Nessa mesma época, a banda finalmente "se livrou das drogas". O último a largar foi Tom Hamilton, que deu sua última "cheirada" nas gravações de Permanent Vacation.




Contudo, o verdadeiro álbum de regresso aos topos de vendas foi "Pump", de 1989, que fez a banda entrar na década de 1990 com força total, no que viria a ser o auge da carreira da banda; desse disco se extraíram três êxitos que chegaram ao Top 10 nos Estados Unidos: "Janie's Got a Gun" (que vence o 1° Grammy do Aero), "What It Takes" e "Love in an Elevator". "Pump" foi ao topo das paradas americanas, chegando a marca dos 9 milhões de cópias.




Década de 90
"Get a Grip" (1993) foi igualmente um sucesso de vendas, chegando a casa dos doze milhões de cópias, tendo restabelecido definitivamente os Aerosmith como uma potência musical. Com singles como "Livin' On The Edge" (que deu o Grammy ao Aerosmith pela segunda vez ) "Eat The Rich", "Crazy" (vencedora do seu terceiro Grammy) e "Cryin".





Após essa sequência de sucessos vem a melhor coletânea do Aerosmith, que é a junção dos três melhores da banda: o "Big Ones".
Para celebrar o ápice da banda, a Geffen Records colocou no mercado a coletânea "Big Ones", contendo os grandes hits dos álbuns já citados, além de duas faixas inéditas, a balada “Deuces Are Wild”, até então exclusiva do álbum The Beavis & Butt-Head Experience e uma versão ao vivo para “Dude (Looks Like a Lady)”, que retornou às paradas seis anos após seu lançamento, quando foi incluída na trilha sonora do filme "Uma Babá Quase Perfeita". Buscar algum destaque nessa compilação é uma tarefa humanamente impossível, pois é hit atrás de hit: "Blind Man", "What It Takes" e "Amazing". E Mesmo as novas canções conseguem manter o nível lá em cima, mostrando que os "Toxic Twins" haviam se recuperado e seguiam inspiradíssimos.





Como previsto, o disco vendeu horrores e teve importante influência na formação musical de toda uma juventude que pegava o bonde andando e queria conhecer essa história. Portanto, não tem como não relembrar de passagens da infância/adolescência ao escutar mais uma vez esses grandes clássicos do Rock and Roll. Pelo menos eu posso dizer a todos que cresci ouvindo e vendo Aerosmith, ao contrário de uma galera excessivamente ‘colorida’ da atualidade.
 "Big Ones" também foi lançada em home-vídeo e pode ser encontrada sem muito esforço em sua versão para DVD. Mas prefiro mesmo ouvir meu vinil, relíquia dos tempos românticos e seu característico som. 
"Nine Lives", de 1997, foi um álbum marcado por inúmeros problemas (mesmo alcançando o topo das paradas e vendendo três milhões de cópias), como a demissão do produtor do grupo, Tim Collins. O disco continha singles de sucesso como "Hole in My Soul" "Falling In Love (Is Hard On The Knees)" e "Pink" (que deu o quarto Grammy).




Em 1998, a banda lança o disco duplo ao vivo "A Little South Of Sanity" e, no ano seguinte, seu primeiro single a alcançar o primeiro lugar da Billboard, o tema romântico da trilha sonora do filme Armageddon, "I Don't Want To Miss A Thing" (escrito por Joe Perry e Diane Warren, ainda que Perry não seja creditado como tal).




Anos 2000
Em 2000, o Aerosmith vai para o "Hall da Fama do Rock". Em 2001, é lançado "Just Push Play", que vai aos topos das paradas dos EUA com singles como "Jaded".
Em 30 de Março de 2004, o seu há muito tempo prometido e fantástico álbum de blues "Honkin' on Bobo" foi finalmente lançado, um regresso às raízes. O álbum nasceu no final de 2003 durante a turnê em conjunto com os Kiss e a jam especial de blues que acontecia nas apresentações. No mesmo ano, sai o DVD "You Gotta Move".
Em 2005, a gravadora lançou "Rockin' the Joint", uma compilação de uma apresentação ao vivo realizada em 2002 durante a turnê de "Just Push Play".
Mais recentemente, em 2006, com o fim do contrato com a Sony BMG iminente, a mesma lançou outra coletânea "Devil's Got a New Disguise: The Very Best of Aerosmith", com grandes sucessos da banda em toda sua história, além de duas canções inéditas, "Devil's Got A New Disguise" e "Sedona Sunrise", outtake do álbum "Pump".
Em 2007, a banda voltou ao Brasil para uma única apresentação no dia 12 de abril, abrindo a Aerosmith World Tour 2007.
Em 2008, o Aerosmith tira umas férias e Joe Perry aproveita para fazer alguns shows com a banda de seus filhos, TAB The Band. Enquanto Steven e Joe se recuperam de cirurgias (o primeiro realizou uma no pé; o segundo, uma no joelho), é lançado o jogo Guitar Hero: Aerosmith, o primeiro da franquia com apenas uma banda em destaque.
Em novembro de 2009, de acordo com o jornal americano Las Vegas Sun, Steven Tyler rompeu seu vínculo com a banda Aerosmith. As relações entre Tyler e o resto do grupo começaram a ter problemas após um acidente em agosto de 2009, quando o vocalista caiu de um palco durante um show nos EUA. Tyler quebrou o ombro e teve que dar pontos na cabeça, cancelando parte dos shows do Aerosmith. A última apresentação do grupo foi no dia 1º de novembro, antes do Grande Prêmio de Fórmula 1 de Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.
"Ele não falou comigo ou com os outros membros da banda. Eu desci do avião dois dias atrás e vi na internet que ele estava dizendo que sairia da banda. Eu não sei por quanto tempo, indefinidamente ou qualquer coisa", completa Perry.
O guitarrista também reclama que Tyler teria perdido o interesse na banda. "Obviamente, ele não estava dando 100% de si havia um bom tempo. (…) Eu não queria que ele cancelasse mais shows. Nós realmente queríamos fazer essas últimas apresentações".
Ele diz ainda que a banda deve continuar com um novo vocalista. "Nós provavelmente vamos achar outra pessoa e vamos seguir com o Aerosmith", termina. Lenny Kravitz teria sido contatado para substituir Tyler, mas negou.
Porém, segundo a revista Rolling Stone, na noite de terça, 10 de Novembro de 2009, Steven Tyler fez uma aparição-supresa em um show de Joe Perry e declarou: "Nova York, quero que você saiba que não estou deixando o Aerosmith." E depois, falando com Joe Perry: "Você é um homem de muitas cores, mas eu sou o Senhor Arco-Íris."
Mesmo com essa aparição, ainda há rumores de uma saída de "férias" para Steven Tyler de aproximadamente dois anos para escrever um livro e gravar um disco solo.
Em 23 de dezembro de 2009 Steven Tyler entrou em uma clínica de reabilitação para se tratar no seu vício por analgésicos, desenvolvido após dez anos tomando remédios para lidar com a dor causada por sua performance e acidentes sobre o palco (na turnê do álbum Nine Lives o microfone caiu em seu joelho rompendo um ligamento e foi aí que tudo começou, ou até mesmo mais recentemente com sua queda do palco). O cantor declarou que estaria ansioso para voltar a trabalhar com seus colegas de banda. Mas, atualmente o guitarrista Joe Perry confirmou a procura de um novo vocalista que virá a substituir Steven Tyler. Afirmou também que será algum cantor com características próprias e não um clone do atual. Porém o que acima é dito, não passa de boatos, pois no dia 29 de maio de 2010 a banda fez um show no parque Antartica de forma completamente integrada.
Em 2010, o Aerosmith volta para a estrada mais uma vez na turnê Cocked, Locked, Ready to Rock, vindo a se apresentar no Brasil em Porto Alegre e São Paulo nos dias 27 e 29 de Maio.

Music from Another Dimension! (2012)
Em novembro de 2010 em entrevista a NME.com, o baterista Joey Kramer confirmou que a banda tinha toda a intenção de concluir e lançar seu álbum longamente adiado em 2011, afirmando: "Realmente, neste momento, a único coisa que vai nos parar é se alguém fora-e-para fora morre. Outros do que isso, nós já passamos por aquilo que passamos e pôs-se ao teste do tempo. O que mais existe?"
Em 18 de janeiro de 2011, Tyler declarou que "Joe (Perry) tem alguns licks e eu tenho um monte de músicas que eu escrevi para o solo e/ou Aerosmith" e que a banda iria começar a preparar o álbum naquela semana. Em 20 de março de 2011, o Aerosmith anunciou um novo álbum de Greatest Hits, "Tough Love: Best of the Ballads", que foi lançado em 10 de maio de 2011.
 Em 23 de maio de 2012, o Aerosmith lançou seu novo single, "Legendary Child", no final da temporada de American Idol. Pouco depois, foi anunciado que o seu décimo quinto álbum de estúdio, "Music from Another Dimension!", será lançado em 6 de novembro de 2012.


Enfim apesar das indas e vindas, dos problemas recorrentes com drogras, o Aerosmith continua na ativa, e como disse David Fricke, da revista Rolling Stone, o Aerosmith pode ser definido em três palavras "Lendas, ícones e ídolos" e completa "Estas são as palavras usadas para descrever essas bandas raras que têm sido adorado por toda a vida e imortalizada como criadores distintos de Rock and Roll. Os membros da banda são lendas, ícones e ídolos, arrojados e inovadores agora como eram há trinta anos. Eles são um fenômeno, uma força da natureza, audaciosa, imparável, não mostrando sinais de que o tempo passou. Pense por um segundo sobre como grande um número de pessoas que ouviram e ouvem as suas músicas. Steven Tyler nos vocais, Joe Perry e Brad Whitford na guitarra, Tom Hamilton no baixo e Joey Kramer na bateria. Eles superaram as tendências e modismos do Rock and Roll para se tornar uma das forças mais poderosas e eletrizantes na música."

Integrantes
Steven Tyler – vocais, gaita (1970-presente)
Tom Hamilton – baixo, backing vocals (1970-presente)
Joey Kramer – bateria, percussão (1970-presente)
Joe Perry – guitarra solo, backing vocals (1970-1980, 1984-presente)
Brad Whitford – guitarra rítmica (1971-1981, 1984-presente)

Ex-integrantes
Ray Tabano - guitarra rítmica (Outubro de 1970–Abril de 1971)
Jimmy Crespo - guitarra solo (Julho de 1979–Abril de 1984)
Rick Dufay - guitarra solo (Dezembro de 1981–Abril de 1984)

Músicas
Side One
"Walk on Water" (inédita
"Love in an Elevator" (do álbum Pump)
"Rag Doll" (do álbum Permanent Vacation)
"What It Takes" (do álbum Pump)

Side Two
"Dude (Looks Like a Lady)" (do álbum Permanent Vacation)
"Janie's Got a Gun" (do álbum Pump)
"Cryin'" (from the album Get a Grip)
"Amazing" (from the album Get a Grip)

Side Three
"Blind Man" (previously unreleased)
"Deuces Are Wild" (do álbum The Beavis and Butt-Head Experience)
"The Other Side" (from the album Pump)
"Crazy" (from the album Get a Grip)

Side Four
"Eat The Rich" (from the album Get a Grip)
"Angel" (do álbum Permanent Vacation)
"Livin' On The Edge" (from the album Get a Grip)
"Dude (Looks Like a Lady) - live  (do álbum Permanent Vacation)

Fotos do vinil
Capa (frente) e vinis 120gram (Side One e Three) - Foto: Diego Kloss
Capa (verso) e vinis 120gram (Side Two e Four) - Foto: Diego Kloss
Capa (frente) e encartes - Foto: Diego Kloss
Capa (verso) e encartes - Foto: Diego Kloss
Detalhe do encarte - Foto: Diego Kloss
Capa (frente) - Foto: Diego Kloss
Capa (frente) e encartes - Foto: Diego Kloss

Nenhum comentário:

Postar um comentário